PATAGÔNIA 2018

Brasil - Argentina - Chile

 

A Patagônia é tão linda que faltam palavras para expressar tamanha emoção em voltar a essa região.

Minha primeira experiência em conhece-la foi a caminho do Ushuaia em 2015. Na ocasião o trajeto foi outro, porque descemos a Ruta 3 na Argentina e depois entramos também na Ruta 40 para conhecer El Calafate e El Chalten. Dessa vez o projeto era conhecer o outro lado da Patagônia, ou seja, o lado Chileno percorrendo a região de Pucon e também um pouco do lado Argentino na região dos Sete Lagos e Bariloche.

E assim mais uma vez iniciei o planejamento dessa viagem, gastando pelo menos uns 3 meses para acertar o roteiro, postos de abastecimentos, possíveis hotéis, passeios, etc...

Acompanhando eu e minha esposa Magali, dessa vez tivemos a companhia do casal Hygor e Verônica da cidade de Várzea Grande Mato Grosso, os quais tiveram sua primeira experiencia em uma viagem de moto!  Isso mesmo, foi a primeira vez que eles fizeram uma viagem de longa distancia e também internacional em uma motocicleta. Um desafio e tanto, porque tudo era absoluta novidade, principalmente a preparação para uma viagem como essa, onde roupas, equipamentos de segurança e a própria moto foram comprados especialmente para isso.

Em 03 de março de 2018 iniciamos então no percurso, saindo da cidade de Campo Grande MS (cidade onde residia na ocasião).  Porem fica o registro que o casal Hygor e Verônica já iniciaram a viagem um dia antes, fazendo o percurso de 700 km até Campo Grande.

Nessa primeiro trecho em um trajeto de 724 km, rodamos pelas estradas do interior do Mato Grosso do Sul até a divisa com o Paraná, entrando por Guairá e em seguida chegamos até Foz do Iguaçu onde fizemos nossa primeira pernoite.  Um trajeto sem muitos atrativos, a não ser a passagem pelo Rio Paraná na divisa entre o MS e o PR, onde uma ponte com mais de 4 km faz a divisa dos dois estados. O calor foi constante e na chegada em Foz fomos recebidos por uma forte chuva com ventos.

Manha de domingo, 04 de março, iniciamos o nosso segundo trecho de 610km até a cidade Argentina de Corrientes. Mas antes da saida fizemos a compra de pesos Argentinos para os próximos dias. Também foi outro dia de muito calor, passando por uma região que reuni muitas industrias de erva mate e madeira. No percurso nenhum atrativo mais interessante de ser registrado, a não ser o fato que as rodovias apensar de simples, são muito bem conservadas, Na chegada em Corrientes pela Ruta 12, entramos na primeira rotatória que da acesso ao centro da cidade, cortando e evitando a entrada pela Ruta 16, uma vez que se trata de um trecho onde algumas vezes muitos motociclistas brasileiros são vitimas de guardas argentinos que aplicam multas "estratosféricas" por transitarem na rodovia.  Vale lembrar que nesse trecho mencionado, é proibido o trafego de motos pela rodovia principal, devendo fazendo pelas ruas laterais.  O problema é que essas mesmas ruas acabam em um determinado momento! E ai como se faz???

Já sabendo de tudo isso uma vez que é a minha quarta passagem pela região (2010, 2014, 2016 e 2018), faço o trajeto alternativo que mencionei acima.  Corrientes é uma cidade que me chama a atenção, porque a cada passagem por lá vejo o crescimento do município e cada vez mais estruturada.  A mesma fica ao lado do belo Rio Paraná e suas margens são muito bem conservadas, o que permitiu tirarmos belas fotos com o uso do drone. À noite não deixe de conhecer o um ótimo restaurante chamado El Parrillón, especializado em vários pratos, servindo uma ótima carne acompanhada de uma bela mesa de frios. Para acompanhar, a maravilhosa cerveja Patagônia.

©Trilheirosonline.com

2003 a 2019 Todos os direitos reservados.

Estamos nas Redes Sociais
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon