Vai viajar de voto pela primeira vez?

Viajar de moto, quilômetros e quilômetros estrada adentro, um sonho da maioria dos motociclistas!  Sonho esse que apenas uma pequeníssima parcela das pessoas consegue realizar em toda sua vida.

Assim, se você faz parte desse seleto grupo, curta muito esse momento, porque ele realmente é mágico.

Mas quando podemos dizer necessariamente o que é uma viagem de moto? Afinal, quantos colegas utilizam suas motos diariamente para ir trabalhar e, esse roteiro às vezes passa até dos 100km!

Então podemos considerar que viajar de moto seria apenas para grandes distancias?

Pergunta difícil com resposta difícil, podendo ter várias interpretações.

Particularmente considero viajar de moto um deslocamento que não seja tão curto, onde tenhamos que sim pegar rodovias (pavimentadas ou não) e que esse deslocamento não seja uma prática diária, comum ao dia a dia do motociclista.

O fato é que pegar estrada de moto requer programação.  Por mais experiente que seja o motociclista, àqueles que realmente gostam de viajar sempre fazem uma programação. Por mais curto que seja o percurso, ele se prepara de alguma forma para sair em uma rodovia, considerando principalmente o fator segurança.  Esse deve ser o primeiro item da lista de preparativos.

Em seguida a questão de estar preparado para imprevistos, que no caso de uma moto, eles podem ocorrer com mais freqüência, já que coisas simples como exemplo um furo de pneu, podem trazer atrasos na sua viagem se não estiver preparado para isso.

Há muitos anos atrás, quando nem sonhava com estradas em uma moto, li em uma revista especializada que infelizmente não me lembro qual, um repórter dizer a seguinte frase:

“Qualquer veiculo te leva a qualquer lugar do mundo, desde que você respeite os limites dele e faça uma boa manutenção”.

Desde então essa frase tem sido o balizador para minhas viagens, por isso tentarei passar algumas das experiências que consegui durante esses anos de estrada. Espero que sejam úteis para você que pretende pegar estrada pela primeira vez em sua moto.

Preparativos

Sentindo um frio na barriga?  Esquenta não, esse é um sentimento que me atingi a cada nova viagem e é justamente esse sentimento que me motiva a continuar a viajar de moto, é a emoção de realmente fazer algo diferente.

Uma viagem de moto começa bem antes, quando estamos formulando a idéia de fazer isso.  Além de importante, é um momento extremamente prazeroso, onde praticamente fazemos a viagem na teoria. Com os recursos tecnológicos atualmente disponíveis (Google, GPS, Tracksource), é possível percorrer todo o caminho de forma virtual.

Vai sozinho ou com amigos?  A resposta dessa pergunta define muito dos preparativos, afinal a opinião de todos os participantes é valida, mesmo que seja você que esteja fazendo todo o planejamento.

Os participantes vão sozinhos ou com garupas?  Os garupas são de sexo oposto? São parentes ou amigos?

Acredite, isso também faz diferença na hora que todos estão na estrada, porque cada situação mudara não só o percurso escolhido, mas o tempo de deslocamento, alimentação, hospedagem e o bom humor de todos.

Então a dica é realmente escolher com quem você vai.  Felizmente nós seres humanos somos totalmente diferentes uns dos outros e isso é que tem graça nos relacionamentos, mas para uma viagem de moto é importante que todos os participantes tenham perfis parecidos, com gostos semelhantes e principalmente a tocada da moto seja a mais próxima possível.  Uma viajem onde um goste de andar no limite e outro a passo de tartaruga certamente não dará certo, a menos que ocorra uma situação mágica: “Um aprenda a respeitar os limites do outro”.

 

Por isso é melhor ser franco no planejamento, porque afinal, como já dizia meu pai, “o tratado não sai caro”.

Escolhido os companheiros ou companheiras, ou simplesmente sozinho, é hora de montar o roteiro.  Dependendo da moto, é possível fazer mais de 1.000km em um único dia.  Mas esse é o propósito da viagem?  Simplesmente sair e chegar?  Ou o real motivo é passear, curtir o vento no rosto e saborear cada quilômetro de estrada?

Se a sua opção for a última, então programe roteiros que permitam você cumprir com o deslocamento dentro do tempo que tem disponível, aliado às várias paradas para abastecimento, alimentação e principalmente muitas fotos registrando a viagem.

Se for precisar de hotel, procure levantar o custo desses por onde ira passar.  Às vezes vale a pena andar um pouco a mais ou um pouco a menos no dia, para assegurar um bom hotel ou um hotel mais em conta.

Locais para visitar devem fazer parte do planejamento, eles é que agregam beleza na viagem e que servirão de base após o feito, para as longas conversas com os amigos.  Procure saber dos pontos de interesse.  Você obtém isso através de mapas, internet e de amigos que já fizeram o mesmo percurso.

    

Abastecimentos e Bagagem

Lembre-se que a sua moto não é um carro, então cada objeto a ser levado tem que ser seriamente pensado se será necessário ou não.  Com o tempo a experiência vai lhe dizer isso, mas procure ser sensato e “tente” explicar à garupa a agir da mesma forma.

Se a viagem for mais longa, procure ir arrumando as coisas com antecedência, dia a dia. Eu costumo ir colocando tudo sobre uma cama, separando os itens por categoria, ou seja, roupas, câmeras, mapas, segurança, ferramentas etc. É interessante, você diminui as chances de esquecer alguma coisa e sobre tudo é bastante prazeroso, você realmente sente que esta se preparando para uma viagem de moto.

Se possível, programe os abastecimentos.  Não que você tenha que levar a viajem toda a risco conforme o planejado, mas de alguma forma levante informações se há postos de combustíveis em todo o percurso, de forma que você saiba a cada quantos quilômetros ira precisar parar para encher o tanque ou se terá que levar combustível extra.  Não abuse, se a sua moto faz em média 250 km com um tanque, abasteça no primeiro posto após os primeiros 150 quilômetros rodados.  Nunca saberemos ao certo se aquele posto observado no mapa realmente estará lá e principalmente se estará aberto (acontece muito em viagens para o exterior).

Se você não tem muito costume, essa distancia também é uma boa para não cansar muito, podendo esticar as pernas e ir ao banheiro. Mas isso não é regra, cada um sabe seus limites e o quanto sua moto tem de autonomia. Mas lembre-se, se você estiver acompanhado, a necessidade das outras pessoas pode ser diferente.

Segurança

Lembra que tocamos nesse assunto lá no começo da nossa conversa? Pois é, aqui realmente o bicho pega.  Infelizmente o quesito segurança requer gastos e uma coisa é certa, aqui economia pode sair caro.  Não existe mágica, equipamento de segurança bom tem o seu custo mais elevado.

Alguns itens se bem pesquisados, conseguiremos sim comprar pelo valor justo, afinal tem gente que abusa nos lucros na hora de vender equipamento, por isso o negocio é pesquisar e negociar muito.

Porém quando partimos para o item CAPACETE, esse realmente não tem milagres e não vale a pena economizar.  Infelizmente, capacete só se sabe se ele realmente é bom ou se fizemos um bom investimento na compra, na hora que é usado!  E essa é uma situação que ninguém quer experimentar, por isso é bom não jogar com a sorte.

Mas o que é capacete bom?  Aquele de grife ou que tem o visual mais descolado?

Não exatamente.  Em geral os capacetes mais caros realmente são os que mais chamam a atenção pelo acabamento e sem duvida tem um nível de segurança mais elevado, porém da sim para comprar um bom capacete por um preço justo. Mas não barato! Pesquise na internet, tem vários sites que trazem materias sobre segurança e testes em capacetes.

Mas se não tenho recursos para comprar um bom equipamento que me proporcione segurança, devo desistir da viagem?

Desistir jamais, bom senso sempre.  Talvez adiar seja o termo correto.  Programar uma viagem também é pensar nos custos, e esses, a menos que você tenha uma situação financeira bastante privilegiada, na maioria das vezes requer economia ou uma poupança para garantir recursos.

Assim, se for para pegar estrada em uma moto, sem possuir o mínimo de equipamento que garanta a segurança sua e da garupa, é melhor adiar até garantir isso.

Emprestar de um amigo talvez seja uma opção, mas saiba que roupas desgastam em viagens de moto. Capacete é algo muito pessoal e precisa ser exatamente do seu tamanho para ser seguro.  Assim, emprestar é uma opção, mas não recomendaria.  É recomendável cada um ter o seu.

    

Mas o que é um equipamento de segurança?

Simples, uma roupa de Cordura ou Couro com itens que proteja de impactos e atritos com o solo; um capacete certificado e que calce na sua cabeça de forma que fique firme e ao mesmo tempo confortável; um par de botas específicas para andar de moto e preferencialmente impermeável; um par de luvas que seja eficiente tanto na proteção, como agüentar sol, frio e chuva.

Se o seu equipamento não for impermeável, não há problemas, utilize uma boa capa de chuva que resolve.

Estranhou falarmos de equipamento de segurança relacionado a vestimentas?

Não estranhe, é isso mesmo.  A roupa adequada para viajar são itens de segurança.  É ela que ira amenizar problemas em caso de tombos ou impactos.  Por isso elas são tão importantes e infelizmente caras.

No entanto, pense nisso como um investimento para muito tempo, geralmente são equipamentos que duram e irá permitir você percorrer milhares de quilômetros com ela.

É um tipo de roupa que pouco se lava, assim em uma viagem provavelmente você ira fazer todo o percurso com ela sem precisar se preocupar em lavar.  Com isso sobra mais espaço na bagagem para outros itens.  Obvio que isso não se aplica à meias, roupas intimas e camisetas.  Essa última procure utilizar aquelas feitas para trilhas, que são finas e super praticas na hora de lavar.  Geralmente você as lava a noite no hotel e na manha seguinte já esta seca e pronta para uso.

Primeiros Socorros

Sempre é bom levar consigo um estojo com itens de primeiros socorros.  Em alguns países esse item é obrigatório.

Mas não basta carregar na mala, o mais importante é aprender a utiliza-lo em um caso de emergência.

Ferramentas.

Assim como as roupas adequadas para viajar, jamais saia na estrada sem possuir um jogo de ferramentas cujas chaves são exatamente as que servem para o seu veículo. Porém, não adianta levar uma oficina em cima da moto, se nada será útil.

Durante a programação, teste as ferramentas nas peças da sua moto e principalmente leve aquilo que será útil para manutenções que você esteja apto a realizar.  É inútil levar um conjunto para manutenção de injeção eletrônica sem que você saiba onde se quer ela esteja.  Atenção para chaves de rodas, principalmente da dianteira.  Geralmente não vem no jogo original e nem sempre os borracheiros às possuem.

Pneus

Se sua moto possui pneus com câmara, uma opção é levar aqueles spray que selam furos.  Já usei e quebrou o galho para conseguir chegar até o borracheiro.  Mas aprenda primeiro a manusear.  Não deixe para ler as instruções somente na hora.

Se o pneu não tem câmara, esse tem algumas vantagens, porque geralmente os furos levam mais tempo para esvaziar os pneus.  Para esses, uma opção é levar um kit de reparos que contempla duas agulhas e um “macarrão selador”.  Para encher o pneu, utilizo um mini compressor.  Há colegas que levam pequenos cilindros de O2, mas pessoalmente acho muito pesado e ocupa espaço.

Informe-se em alguma loja especializada sobre esses kits próprios para motos, que é diferente do kit para carros, cujas agulhas e o macarrão são bem maiores.  Faça uma visita até um borracheiro que ele ira lhe ensinar a utilizar.

Revisão de Viagem

Esse é um item também indispensável.  Motocicleta não é um carro e requer revisões mais constantes e cuidados exclusivos, principalmente pensando em segurança.

Se a viagem for curta e o veiculo tiver passado por uma recém revisão em uma oficina que realmente faça isso de forma correta, na maioria das vezes não será necessário refazer o processo, basta atentar para itens básicos, como freios, pneus, relação ajustada, limpa e lubrificada, parte elétrica toda funcionando.  Mas se for uma viajem longa, é interessante fazer uma boa revisão em itens como suspensão, injeção ou carburação, aperto geral em porcas, parafuso, coluna de direção, lubrificação ou troca de rolamentos e é claro troca de óleo e filtros.  Enfim, cada moto tem as suas necessidades e características, e elas devem ser respeitadas.  Óleo por exemplo é uma grande polemica, dependendo da cilindrada e do tipo de moto, troca-se com quilometragens completamente diferentes. Se utiliza óleo sintético e a viagem for tão longa que precise trocar no caminho, procure saber se no percurso existem opções de compra.  Se não houver, terá que levar consigo, porque a substituição de sintético para mineral requerem procedimentos especializados sob risco de até danificar o motor. Sempre carrego filtro de óleo e um jogo de pastilhas traseiras, que costumam gastar com mais freqüência. Dependendo do modelo da sua moto, poderá não se encontrar em qualquer lugar.

Onde guardar tudo que preciso levar?

Tudo pronto, viagem planejada, abastecimentos garantidos, equipamentos de segurança adequados e devidamente vestidos, é hora de colocar o pé na estrada, certo?

Errado!  Primeiro você deve pensar em como acomodar tudo em sua moto, sob risco de você ficar sem lugar para sentar.

Por isso, ainda na fase do planejamento, você deve também pensar no bagageiro ou como ira transportar as roupas, ferramentas e peças sobressalentes necessárias para a viagem.

E agora, já que minha moto não tem porta malas, o que fazer?

Simples, ponha um porta malas nela!  Brincadeiras a parte, os baúletos próprios para moto são grandes parceiros para grandes viagens.  Viagens curtas da para improvisar com bolsas impermeáveis ou devidamente fechadas com embalagem plástica e bem amarradas na moto.  Mas em viagens longas é bom pensar nesse investimento.  Há bagageiros de todo tipo, tamanho, cor e preço.  O mais importante é você escolher aquele que não vá afetar a estabilidade da sua moto.  Cuidado com o peso excessivo e lembre-se: Bagageiros exigem que você mude sua forma de pilotar, começando por diminuir a velocidade e atentar para a largura da sua moto.

Bom, bagageiros é acessório, e esses existem em uma grande infinidade no mercado, onde alguns podem proporcionar segurança extra, beleza ou conforto.

Se possui recursos financeiros para isso, vale a pena dar uma olhada em alguns, mas fique atento e principalmente, tente, tente e tente não comprar por impulso.

Se possível, no dia que antecede a viagem, garanta que tudo esteja arrumado já na própria moto, de forma que na grande hora da saída, seja só dar partida e curtir estrada.

Parece não fazer diferença, mas acredite, descobrir que esta faltando algo na hora da saída, pode jogar um pouco de água fria nesse emocionante momento.  Proceda de forma que a saída seja um momento onde você possa estar disponível para amigos e familiares que com certeza estarão presentes para lhe desejar uma boa viagem. Curta isso, é um daqueles momentos da vida que são impar e raros, às vezes únicos.

Tire muitas fotos, porque com certeza você ira ficar às revendo pelo resto da vida.

 

Boa Viagem!

Alcioni Marcio Fritz

©Trilheirosonline.com

2003 a 2019 Todos os direitos reservados.

Estamos nas Redes Sociais
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon