Minhas viagens são geralmente planejadas com bastante antecedência, mas essa requeria muito mais planejamento e não por ser um destino que impõe grandes dificuldades, mas sim porque dessa vez iriam participar três casais que residem em pontos extremos do país, um em Campo Grande Mato Grosso do Sul, outro em Palmas Tocantins e outro em Cuiabá Mato Grosso.

Além da grande distância que ligava todo mundo, tínhamos uma questão muito especial, que era o fato que dessa vez teríamos duas pessoas viajando de moto pela primeira vez, a Alenka esposa do meu irmão Cristiano e a Analice esposa do amigo Paulo Rocha. Apesar de seus esposos já terem larga experiência em viagens, elas nunca tinham se aventurado. Outra questão era o tempo disponível, onde teríamos apenas 15 dias para fazer o deslocamento, uma vez que as atividades profissionais e filhos não permitiam que ambas ficassem tanto tempo fora. A terceira mulher no grupo é a minha esposa Magali, companheira de garupa já a varias viagens.

Importante esses detalhes, porque você que está lendo esse texto, pode ter muitas vezes deixado de fazer uma viagem por situações parecidas, onde trabalho, filhos, compromissos pareciam sobrepor-se a oportunidade de viajar. Então o segredo está no planejamento.

 

E assim com oito meses de antecedência começamos a planejar essa viagem, onde inclusive dependia de encontrarmos uma moto para o casal de Palmas, que poderia ser a opção por alugar ou comprarmos uma para a viagem e depois vende-la no retorno. Outro ponto seria nosso ponto de encontro, o qual ficou originalmente marcado em Curitiba onde eu residia no período onde iniciamos o planejamento. Ocorre que logo em seguida fui transferido para Campo Grande Mato Grosso do Sul, o que pediu nova revisão no planejamento da viagem.

O primeiro passo era decidirmos o destino.  Como tínhamos pessoas que iriam estrear, não poderíamos escolher um país onde teríamos dificuldades com o clima, alimentação, abastecimentos e altitude, bem como teríamos que montar trechos diários mais curtos e preferencialmente parando em cidades que tivessem atrativos.

 

E o país escolhido foi o Uruguai, o qual eu e minha esposa já tínhamos ido algumas vezes, mas também seria uma novidade para os demais casais. Como o Uruguai é relativamente pequeno, resolvemos adicionar uma passagem por Buenos Aires que fica ao lado. Escolhido os destinos, agora a missão seria desenhar o roteiro, deixando-o o mais agradável possível.

 

Então decidimos que nosso ponto de encontro seria em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, onde eu já estaria morando por lá e também porque seria ponto obrigatório de passagem do casal que vinha de Cuiabá. Para o casal de Palmas a opção foi descer de avião até Campo Grande e de lá seguir de moto, a qual já estava nessa cidade. Acabamos optando pela compra.

 

28/02/17 - Então finalmente depois de 08 meses de iniciado o projeto, demos início a viagem em uma terça feira de Carnaval. Nosso primeiro trajeto foi entre Campo Grande MS à Londrina no Paraná, percorrendo pouco mais de 600km durante o dia mas debaixo de um calor muito forte, principalmente próximos à região do Rio Paraná, na divisa entre os estados do MS e SP. Um trajeto sem muitos atrativos, a não ser a passagem pela ponte em Presidente Epitácio que faz a divisa dos estados MS/SP, onde inauguramos o uso do drone pela primeira vez, fazendo uma bela foto do Rio Paraná.

1/2

01/03/17 - No segundo dia o trajeto foi mais curto, cerca de 400km entre Londrina à Curitiba, o qual foi feito principalmente pela BR376, passando pela bela serra do Cadeado no Paraná.  Um trajeto feito para andar de moto, com muitas curvas em uma região que em alguns trechos supera os mil metros de altitude. Próximos a Curitiba passamos pela Colônia Witmarsum, um pequeno e lindo povoado formado por famílias alemãs, a qual tem vários cafés coloniais, sendo um ponto turístico na região.  Nossa chegada em Curitiba foi logo após o almoço e lá fomos recebidos e participamos de um churrasco na companhia de muitos amigos.

02/03/17 – Nesse dia nosso trajeto foi mais curto ainda, rodamos apenas 300km até Florianópolis, mas sem dúvida um belo trajeto descendo a Serra do Mar pela BR376 até Joinville, onde entramos na SC418 para uma passada pela bela Serra Dona Francisca. A caminho de Floripa fomos passando por cidades como Balneário de Camboriú e Itapema, região muito bonita e muito agradável para uma viagem de moto. Em Florianópolis aproveitamos a tarde de sol para passear e pegar uma praia é claro. Também em Floripa fomos recebidos por um casal amigo que lá possuem residência, aproveitando para colocar a conversa em dia.

1/4

03/03/17 – Nosso quarto dia de viagem começou bem cedo, porque apesar da pouca quilometragem no dia, pouco mais de 310km, teríamos pela frente muitos atrativos. Percorremos a “Rota Europeia” até Urubici, onde subimos no Morro da Pedra Furada e lá pegamos a nossa primeira chuva na viagem, o que momentaneamente acabou causando uma certa frustração, porque desceríamos ainda a Serra do Rio do Rastro. Mas graças a Deus a chuva passou e pudemos descer essa bela serra que está entre as 10 estradas com trajeto belos do mundo. A chuva que havia caído a pouco tempo deu até uma beleza a mais no trajeto, porque formou várias cachoeiras pelo caminho. Nesse dia fomos dormir em Forquilhinha, uma pequena, mas muito charmosa cidade vizinha a Criciúma em Santa Catarina. Lá ficamos em um ótimo e confortável hotel chamado Oma Zita e também conhecemos a Saint Bier, uma espetacular cervejaria que fica à beira da rodovia Irineu Bomhausem, um lugar para colocar na lista de atrativos a serem conhecidos na região.

 

04/03/17 – Manhã de sábado, quinto dia de viagem, tendo como trajeto Forquilhinha à Gramado no Rio Grande do Sul, outro trecho curto de 320Km, percorridos pelas rodovias BR101 e pela RS486, a famosa Rota do Sol.  Outra rodovia muito bonita e perfeita par ser feita de moto, com muitas curvas e um belo visual. Nossa chegada e nossa estadia em Gramado foi de chuva e temperatura um pouco baixa, mas agradável.  Esse aliás foi nosso último dia em que pegamos chuva durante todo o restante da viagem.

1/6

05/03/17 – Gramado à Rivera Uruguai, esse foi o trajeto em nosso sexto dia de viajem, tendo um total de 600km percorridos no dia, onde na parte da manhã o tempo permaneceu com temperatura amena, mas logo após o almoço a temperatura subiu muito na região de Santa Maria no Rio Grande do Sul. O trajeto feito a maior parte por planícies e grandes retas que cortam o interior do estado. Chegamos na fronteira com o Uruguai ao final do dia, onde optamos em dormir já dentro daquele país. Como não há divisa natural entres os dois países, o transito é livre entre Santana do Livramento e Rivera. O processo alfandegário agora é feito dentro de um shopping na cidade Uruguaia, com muito conforto, rapidez e comodidade.

 

06/03/17 – Nosso dia também começa cedo, hoje com a missão de atravessarmos todo o Uruguai até a cidade de Colônia Del Sacramento, onde percorremos 600km nesse dia através das Rutas 5, 11 e 1.  O trajeto também muito tranquilo, com poucas cidades ao longo do caminho, mas todo ele por um excelente asfalto. Já dentro do Uruguai a temperatura se manteve bastante agradável, variando entre 18 a 21 graus durante o dia.  Conforme já coloquei em outros posts, Colônia é uma cidade pequena mas muito agradável e charmosa, excelente para casais, onde é possível degustar um bom vinho e uma bela carne em um dos diversos restaurantes da cidade. Aqui também deixamos nossas motos guardadas dentro do próprio hotel e na manhã seguinte partimos para Buenos Aires.

07 à 10/03/18 – Hoje nosso destino é Buenos Aires, mas de navio, através do Buquebus que faz o transporte de pessoas e também de veículos caso queira passar para o lado da Argentina com eles (clique aqui caso queira saber mais sobre o Buquebus). O trajeto é rápido, cerca de uma hora e quinze minutos para atravessar todo o canal do Rio da Prata, aportando diretamente na capital argentina. Em Buenos Aires passamos três dias passeando e conhecendo diversos pontos turísticos, restaurantes, bares e show de tango nessa bela cidade.  Também aproveitamos para irmos até a cidade de Luján, que fica a 70km de Buenos Aires, para conhecermos o famoso zoológico onde é possível entrar dentro da jaula de animais selvagens, como os leões e tigres. Realmente um passeio diferente e emocionante. Foi minha terceira passagem por Buenos Aires e digo que é uma cidade para voltar sempre, porque tem muitos atrativos culturais e culinários, com um custo interessante.

1/6

10/03/17 – Entramos no nosso décimo primeiro dia de viagem, onde nosso destino será retornamos ao Uruguai e seguirmos até Punta Del Este. Novamente pegamos o navio até Colônia e lá pegamos a motos que estavam guardadas no hotel e seguimos primeiramente para a capital Montevidéu. Um trajeto de 185km pela Ruta 1, rodovia muito bem pavimentada, a maior parte inclusive de pista dupla e de pouco movimento. Lá chegando fomos diretamente para o Marcado do Porto onde a parada é quase que “obrigatória” para degustar uma saborosa carne Uruguaia. Mas devido ao pouco tempo, nossa pernoite não foi nessa cidade, optamos em seguir direto para Punta Del Este, rodando mais 130km e chegando em Punta Ballena bem no horário do pôr do sol.  O visual é fantástico porque o céu azul sem nenhuma nuvem permitiu admirarmos esse esplendor da natureza em sua plenitude.

 

No dia seguinte aproveitamos para conhecer vários pontos turísticos da belíssima Punta Del Este, incluindo aí uma ida até o Farol de Santo Inácio e a recém inaugurada ponte Laguna Garzon, feita em uma estrutura redonda.

1/9

12/03/17 – É momento de retornarmos ao Brasil e assim fizemos seguindo via Ruta 9 até a fronteira na cidade de Chuí. De lá seguimos para a cidade de Rio Grande no estado do Rio Grande do Sul, onde fizemos uma rápida parada na boca da Lagoa dos Patos, outro lugar muito bonito interessante de conhecer. No mesmo dia pilotamos até Pelotas, completando 480km rodados no dia.

 

13/03/17 – Nosso trajeto será bastante curto nesse dia, apenas 260km até a capital gaúcha. Assim fizemos para termos em nossa programação um dia de reserva caso em algum momento da viagem precisássemos fazer uma parada técnica.  Mas graças a Deus tudo ocorreu dentro do planejado, assim chegamos em Porto Alegre próximos hora do almoço e aproveitamos a tarde livre para descansar porque na manhã seguinte nosso trajeto seria longo.

 

14/03/17 – Completamos os 15 dias planejados para a viagem.  A partir desse trecho as esposas embarcaram em voos para as suas respectivas cidades e nós os homens seguiremos de moto também para as cidades origens. Mas primeiramente seguirmos para a cidade de Goiânia, acompanhando meu mano Cristiano até lá, uma vez que o seu destino será Palmas no Tocantins. E assim fizemos, rodando 1.900km em dois dias e meio até a capital de Goiás. Lá aproveitamos para rever os amigos e fazer uma troca de óleo nas motos.

1/3

18/03/17 – A partir desse dia cada um ira seguir o seu destino.  Meu mano Cristiano seguiu mais 830km para Palmas TO, o amigo Paulo Rocha rodou mais 950km até Cuiabá MT e eu 850km até Campo Grande MS.

E assim encerramos mais uma viagem internacional de moto, feita em três motocicletas e três casais, onde duas das mulheres participantes estavam fazendo sua estreia no mundo das viagens motociclísticas e que simplesmente adoraram a experiência, já avisando que não ficariam de fora das próximas viagens.

 

Graças a Deus a viagem transcorreu 100% dentro do planejado, onde nenhuma das motos apresentou falhas, bem como nenhum problema com os integrantes.

 

É isso pessoal, que venham as próximas.

ASSISTIA NO YOUTUBE O FILME COMPLETO DESSA VIAGEM

08 Capítulos

©Trilheirosonline.com

2003 a 2019 Todos os direitos reservados.

Estamos nas Redes Sociais
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon